Prefácio

de

O Poder SECRETO! 

 

 

 

" O 'bom-bocado' não é para quem o faz, mas para quem o come".

 

 

 

 

Armindo Augusto de Abreu, economista, escritor e conferencista, ex-membro do Corpo Permanente da Escola Superior de Guerra (ESG) é considerado, por quem já leu seus textos, como um dos mais completos, corajosos e acreditados escritores brasileiros contemporâneos e, justamente por isso, o mais perigoso e incômodo de todos para o sufocante sistema de poder que, segundo sua visão peculiar, nos vigia, oprime e submete.

Sua perspicácia como leitor-viajante e pesquisador ávido, cosmopolita, perscrutador e analista de obras incomuns, raras, muitas delas malditas, postas sob infindáveis quarentenas ou proscritas pela historiografia oficial, lhe tem garantido acesso a informações confiáveis, raras, exclusivas, que lhe facultam alcançar e difundir fatos ou versões que jamais circulariam, livremente, pelas vias históricas ou acadêmicas ditas regulares.

Sua pena ágil, crítica, aguçada, muitas vezes irônica e corrosiva, analisa, aponta e denuncia, de forma objetivamente clara e franca, o que a pouquíssimos seria dado vislumbrar.

Isso, naturalmente, por dificuldades ou impedimentos construídos de forma intencional nos tempos e circunstâncias atuais, empecilhos creditáveis tanto às barreiras de acesso a informações precisas, sistematicamente interditadas ou negadas à sociedade pelo autocrático sistema de poder vigente (travestido de discutível democracia), quanto às naturais carências de recursos, oportunidades e do imprescindível instrumental técnico-analítico, ferramental escasso, raramente ao alcance do público leitor.

Sua página na rede mundial, muitíssimo freqüentada por patriotas e amantes da verdade, registra assíduos acessos de quase todos os países do globo, desnudando um insaciável interesse público pelos artigos de análise estratégica, em especial pelas informações precisas, exclusivas, esclarecedoras, antes disponíveis, apenas, em ambientes fechadíssimos, nos redutos das oligarquias e da sua intelectualidade elitista.

Por isso, ele se vem destacando como o analista brasileiro que mais tem demolido mitos, denunciado patrulhamentos, farsas e restabelecido muitas verdades, antes mascaradas pelos representantes dos interesses ocultos e suas versões oficiais tipo Disneylândia (adocicadas e infantilizadas) da História, da Política, da Religião e da Economia; construções teatrais destinadas a difundir ilusões, a podar a imaginação e a criatividade; a impedir a visão ampla, universalista dos fatos; a sufocar curiosidades e inquietações extremas; a unificar pensamentos, oprimir consciências, tolher, enfim, a liberdade de pensar, agir, criar, reagir, de expressar idéias e pensamentos, outrora direitos civis universais e consagrados, hoje, infelizmente, numa sociedade de quase-autômatos, todos eles em acentuado processo de decadência ou erradicação.

Certamente pelo mêdo pânico de eventuais represálias às verdades ‘politicamente incorretas’ aqui contidas, que não poupam doutrinas ou credos políticos e econômicos; grandes personalidades, vultos míticos de projeção universal; postulados do mercado; governos, instituições republicanas e particulares; banqueiros do estado ou privados, esta obra já semeou, previamente ao seu lançamento, sérias preocupações entre profissionais da informação, editores e acadêmicos ligados ao establishement, muitas vezes dependentes das verbas públicas, dos favores creditícios ou fiscais e, portanto, receptivos ou simpáticos ao pensamento único, universalizante, aquele que procura balizar nossas vidas, ações e pensares, sem encontrar argumentos sólidos em contrário e mínimas disposições a quaisquer resistências.

Em face disso, não foi surpresa saber que, como condição prévia para trazer o livro à luz do dia, dar-lhe vida e visibilidade, alguns editores, ou seus prepostos, teriam exercido pressões para que o autor aceitasse barganhar, modificar, reduzir, podar ou suprimir trechos e informações, entre as mais sensíveis constantes dos seus originais, a pretexto de tornar a obra mais concisa, palatável e comercial.

Pelas mesmas razões, não faltaram, inclusive, insinuações explícitas ou veladas para que ele se abstivesse de apresentar, também, as exclusivas análises de inteligência estratégica, comentários e conclusões, reservando ao texto final purificado apenas os fatos objetivos, crus e inconclusivos, colhidos nas irrefutáveis fontes nacionais e estrangeiras pesquisadas, insinuações prontamente repelidas, para nosso gáudio, e rejeitadas in limine.

Não obstante, superado esse tremendo impasse, o texto integral, ora dado a lume, vem causando forte impacto e encantando leitores que tiveram o privilégio de lê-lo e criticá-lo antes deste lançamento formal, especialmente entre intelectuais independentes, os que já se viam entediados, fartos das mesmices de sempre, dos livros-textos ou best-sellers pré-fabricados no exterior e trazidos apressadamente ao vernáculo, das velhas e surradas teses de predomínio e dominação cultural, aspiradas dos centros superiores do primeiro mundo como verdades absolutas e indiscutíveis.

Agora, aberta aos ares mais refrescantes, liberada ao público leitor, esta obra de concepção genuinamente brasileira vai dividir opiniões e, com toda a certeza, despertará paixões e aplausos, mas também provocará abalos, calafrios e atrairá polêmicas infindáveis, o que será excepcionalmente saudável e promissor para o debate cultural, político e econômico, esgotado pelas cansadas teses monolíticas.

Neste trabalho de qualidade e credibilidade incomparáveis, fica nítido que o autor se preparou com afinco e esmero antes de se dispor a revelar, demonstrar, analisar e explicar, corajosamente, teses e fatos únicos, inquestionáveis, que permitirão ao privilegiado leitor, finalmente, alcançar pleno acesso a certas impactantes verdades, antes sonegadas ao conhecimento e à compreensão de todos nós, acerca dos mecanismos secretos, precisos, que movem a sociedade humana e o nosso mundo globalizado, muito acima e além das meras leis da física ou da mecânica celeste.

A extraordinária história do ‘Sombra’ (o Calabar estadunidense); a organização e o desenvolvimento da Nova Ordem Mundial e da Globalização; o fim planejado das monarquias; o grande desmanche dos estados-nacionais e o surgimento de um estado supranacional materialista; os estímulos de ódio e repulsa entre irmãos; as origens do racismo e das aversões religiosas, elementos desintegradores da espécie humana; as verdadeiras origens e intenções dos repugnantes Protocolos dos Sábios de Sião, da Inquisição e do Holocausto; a queda do czarismo, a revolução russa e o devastador papel do comunismo; as inegáveis e surpreendentes ligações dos principais líderes revolucionários bolcheviques com os serviços secretos ocidentais e os grandes banqueiros de Wall Street; a verdadeira missão e os objetivos políticos ocultos do nazismo; a história da criação das antigas moedas conversíveis em metais nobres e as mesquinhas razões da sua extinção; o secreto papel dos bancos centrais independentes ou autônomos (em especial, do Banco da Inglaterra e do FED) e suas relações espúrias com o dinheiro de papel pintado; a origem e os objetivos encobertos das agências reguladoras, também independentes; o incentivo à rebeldia e ao uso das drogas, pela juventude; as interferências psicológicas destinadas a neutralizar, manipular e submeter os seres humanos; o sentido da violência e das guerras; a utilização de consagrados princípios filosóficos nas práticas políticas e na progressiva extinção das chamadas liberdades democráticas; os fatores religiosos e as práticas esotéricas na consolidação de um poder invisível, satânico e avassalador; as presenças de antigas e modernas sociedades secretas na formação e na condução desse formidável arcabouço de dominações; os segredos, as conexões e as influências dos credos milenares e pagãos da Babilônia e do antigo Egito sobre as religiões e as igrejas monoteístas; suas relações e interações com o misterioso Priorado de Sion, a Maçonaria, os cavaleiros Templários, o Santo Graal e uma enigmática, milenar, corrente sangüínea unindo reis europeus a presidentes norte-americanos (quase todos aparentados), que poderiam carregar, na essência do seu sangue azul, a mesma linhagem real e genética do próprio Cristo, são alguns dos assuntos abordados, dos muitos mistérios dissecados e, por fim, desvendados aos nossos olhos atônitos, neste livro excepcional, chocante, surpreendente, escrito com o mesmo vigor e a intensa criatividade de uma novela de suspense.

Estaremos, portanto, muito mais aptos, ao final da leitura, a compreender fenômenos que saem do emaranhado em que sempre foram propositalmente colocados para dificultar a nossa compreensão dos fatos e criar facilidades para o hermético esquema de poder, dominação e acumulação de riquezas.

Tudo isso, graças a uma habilidosa construção literária que se propôs, com sucesso inquestionável, a demonstrar, comprovar e a ordenar em nossas mentes, com total e absoluta clareza, fatos tão impactantes e sua lógica conspirativa, num conjunto fascinantemente harmonizado pelo engenho de uma obra monumental, enciclopédica.

E que trás ao calor do dia, sem retoques, a história completa de como um fantástico e invisível esquema de poder se estaria formando e fazendo sucumbir, diante de tantos olhos vendados, a tradicional sociedade ocidental, de valores éticos e morais judaico-cristãos para, em seu antigo posto, formar, firmar e entronar um governo mundial único, de inspirações e nuances pagão-esotéricas, sobre um estado transnacional materialista, ambos sob a égide de uma férrea e inexorável ditadura planetária.

Parabéns ao autor e, em especial, ao feliz leitor que, tendo a ventura de possuir nas mãos este exemplar de “O Poder SECRETO!” poderá, providencialmente, sem nenhum grau de limitação ou censura, mergulhar no seu rico, criativo e agradabilíssimo texto e degustar finíssimos sabores da verdade.

Encerrando esta breve apresentação, não posso deixar de recomendar, entusiasticamente, esta obra gerada graças ao talento e aos esforços de Armindo Abreu, especialmente pela inabalável certeza de que cada um dos seus leitores, da mesma forma como ocorreu comigo, esperava e ansiava por ela, há muito tempo!

 

Rio de Janeiro, abril de 2005.

Professor Nuno Linhares Velloso, Doutor em Ciência Política pela Universidade de Berlim

 

Página Inicial